MADRID – dicas do Wilson

MADRID

Cidade muito limpa, organizada e estruturada. Chegamos em 31/03, céu limpo, mas ainda com a temperatura de um inverno paulistano (aproximadamente 9°C). Clima extremamente seco. Respirava bem, mas na hora de dormir complicava um pouco. Minha noiva sofreu um pouco mais e por ter rinite, e portanto fica a dica: quem já sofre aqui no Brasil com algum problema respiratório, vá preparado (Naridrin, Rinosoro, etc). O nariz resseca e fica incomodo para respirar.
No primeiro dia, pegamos metro e fomos até a Puerta del Sol (centro da cidade). Passamos pelo Congresso de los Diputados e jantamos no restaurante Lamucca de Prado – Calle del Prado, 16.
Pedimos de entrada alcachofras fritas salpicadas com jamon hibérico frito e croquetes de jamon. Excelente! A alcachofra (lá eles chamam de alcachofa, sem o ˜r˜) é totalmente diferente da que comemos aqui no Brasil. Come-se tudo, pétalas e miolo… Como prato principal, provamos o chuleton. Um corte que acredito ser específico espanhol. Uma delícia! Arrisco em dizer que foi a melhor carne que comi na minha vida! Macia e suculenta por dentro, e por fora tinha uma crosta de sal grosso, crocante! Salivo só de lembrar! Importante reforçar que é preciso fazer reserva, senão correrá o risco de não conseguir mesa. Como estávamos na casa de um amigo, ele acabou se encarregando de reservar nossas aventuras gastronômicas. Preço? Não tenho muitas referencias pois ele acabou pagando também, mas pelo que lembro do cardápio, gira em torno de 13€ a entrada e o prato principal foi uns 22€ (lembrando que dividimos tudo para três pessoas). Finalizamos com o tradicional churros da também tradicional Chocolateria San Ginés – Pasadizo de San Gines, 5.
Próxima à Plaza Mayor, é um dos lugares mais famosos para experimentar o original churros com chocolate quente! Gastamos 27€ com churros, chocolate quente e água para 3 pessoas.
No dia seguinte, partimos de carro em direção a Segovia, famosa pelo aqueduto romano construído no século 1 DC. No caminho paramos na Sierra de Guadarrama, onde fica o parque Navacerrada com uma estação de esqui. Pegamos o penúltimo dia de atividade da estação, com pouca neve mas estava muito, muito frio! apesar de ser “só” 2°C, ventava demais, e tivemos que comprar luvas para suportar o frio (6€ cada par). Seguimos em frente. Paramos no que foi o sítio da família real espanhola: San Ildefonso. Cidadela bem pequena, com um palácio anexo a uma igreja, mas não entramos. Caímos na estrada (com paisagem muito bonita por sinal) e só paramos em Segovia. Outra cidade pequena, mas com mais comercio e estrutura para turistas. Paramos num estacionamento e seguimos a pé até a catedral de Segovia.
Um tanto quanto curioso uma catedral, que arrisco dizer ser do tamanho da de São Paulo, mas numa cidade de pouco mais de 50 mil habitantes… Mas é Europa né… tem história ali viu! Lembro que este passeio só foi possível por estarmos de carro com nosso amigo. Caso decida ficar só por Madrid, recomendo usar o transporte publico, especialmente o Metro, que serve muito bem a cidade.
Voltamos para Madrid e jantamos noutro restaurante: La Cornada – Paseo de la Castellana, 89. Seguimos com o mesmo cardápio, com as mesmas entradas e prato principal (alcachofra, croqueton de jamon e chuleton). Também estava tudo muito bom! Para acompanhar, tomamos um vinho excelente chamado Casar de Burbia – Mencia. a garrafa foi aproximadamente 16€ (caro para os padrões europeus), mas os pratos neste restaurante também foram mais caros (o chuleton foi 51€). Como no outro restaurante, também é necessário ligar para reservar com antecedência!
No terceiro dia em Madrid, fomos de metro até o Parque de el Retiro. Muito bonito! Estavam plantando flores como sempre plantam ao inicio da primavera. Visitamos o Palácio de Cristal, e seguimos saímos do parque pelo do Bosque del Recuerdo/Plaza Parterre.
Andamos um pouco pelo bairro e tomamos o metro para almoçarmos no El Corte Inglês – Gran Via. Para quem tiver interesse em fazer compras, esta loja de departamento tem tudo! Desde roupa de bebês, à artigos esportivos, roupas de luxo, eletrônicos, supermercado, cosméticos de marca, utensílios de cozinha, jóias, perfumes, relógios, viagens etc. Um prédio de 8 andares, para ser explorado. No último andar, uma espécie de empório, com vinhos, azeites, temperos mais raros, e também alguns restaurantes. Almoçamos no Hamburguesa Nostra. Como o nome diz, sua especialidade é hambúrguer! Eu indico! Até porque ajuda a dar uma segurada no orçamento… Ahh, vale lembrar que todo turista pode fazer um cartão onde 10% do valor da compra será revertido em desconto para as próximas compras (exceto eletrônicos e perfumes) caso volte a visitar essa ou outra loja do El Corte Ingles (acho que tem mais do que McDonald’s rsrs). Outro ponto importante é: guarde todas as suas notas fiscais para que no último dia peça seu tax free (para rever todo imposto no aeroporto quando deixar Madrid). Outra loja que valeu a visita foi a Primark (também na Gran Via). Loja de roupas mais baratas (achamos algumas camisetas de qualidade razoável a 2€). Esta loja também é enorme, então reserve um tempo para garimpar roupa e acessórios baratos.
No último dia em Madrid antes de seguirmos para Paris, visitamos o estádio do Real Madrid – Santiago Bernabéu. O ticket pode ser comprado na hora a 7€ por pessoa (sem guia). Um passeio que vale a pena para quem gosta de futebol e até quem não curte muito, afinal, é uma bela construção moderna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *