Iberê e Adri por Roma e vizinhanças

 
Vamos falar das partes boas agora.

Como estávamos aproveitando uma viagem de negócios nossa passagem pela Itália começou pela Suíça, tomamos um vôo para Zurich e depois outro de Zurich para Roma.

O aeroporto de Roma é bem bagunçado parece muito com o nosso, malas demoram pra sair e etc…

Antes de sair de Sao Paulo e havia feito uma reserva sem custo ao Transfer Service Roma, infelizmente nos desencontramos e acabei pegando um taxi.

Acredito que o serviço seria bom porque, o rapaz de fato ficou me procurando aeroporto e depois ligou no meu celular para saber onde estava insistentemente.

O taxi para o hotel Visconti Palace ficou em 55 euros, o hotel fica numa ótima localização próximo ao centro turístico de Roma e do Vaticano.

O hotel em si também é muito bom, recomendo sem pensar duas vezes.

Como estávamos perto de tudo, andamos, andamos muito mesmo, praticamente em todos os lugares que fomos.

No dia em que chegamos ambos azuis de fome, seguimos a recomendação do hotel e fomos jantar no La Cupole, excelente restaurante e o vinho da casa de ótima qualidade, pedimos massa para estrear a chegada na Itália.

No dia seguinte começou a peregrinação, fomos até o Vaticano e com o frio e chuva que estava, era pateticamente impossível ficar na imensa fila para entrar na basílica de são Pedro. Voltamos correndo para o hotel parando no caminho para comprar aqueles guarda-chuvas descartáveis e capas, o tempo estava péssimo.

Reprogramamos, e fomos para o outro lado do Rio, Piazza Augusto, Piazza Spagna e o esplendido Pantheon (meu favorito).

Almoçamos no Ciro & Ciro nada de mais, vinho da casa de boa qualidade, mas nada de especial e continuamos andando até a Fontana de Trevi.

Na volta nos perdemos um pouco e saímos no Vitorino, quase que fizemos Roma em um só dia de tanto que andamos.

A noite almoçamos no Leonardo próximo a Piazza de spagna, esse vale muito a pena recomendar, comida boa, lugar simpático e bom preço.

Dia seguinte fomos ver o papa literalmente, era o dia de entronização e sua primeira missa.

Fomos ao coliseu e Roma antiga, e como é nosso costume almojatamos no Hard Rock.

Quarta-feira como sabíamos que o tempo ia estar ruim novamente, foi dia de nos enfurnarmos em museus. Fomos ao museu do Vaticano, uma fila enorme e uma porrada de caras querendo vender atalhos para sair da fila. Um saco. O museu do Vaticano é bacana, mas muito, muito cheio, fica impossível ver as coisas com calma, e posso parecer meio analfabeto mas não achei nada de mais na capela sistina.

Agora uma dica boa é a seguinte: a capela sistina tem duas saídas uma a direita e outra a esquerda, a da direita sai quase dentro da basílica de são Pedro, se vc não quiser ficar mais de duas horas novamente para entrar, saia pela direita e não pela esquerda.

Conhecemos a Basílica e fomos para o meu segundo local favorito o Castelo de san Angelo, com a sua ponte e as doze estatuas logo a frente, infelizmente o castelo é muito aberto e o tempo estava péssimo ficou impossível ver a vista mas curti muito a visita.

A noite almoçamos no Nino, esse foi O restaurante, famoso pela alcachofra romana, e caro, mas vale cada centavo, atendimento excelente e a massa é formidável.

Deixamos para o nosso ultimo dia a Vila borghese, que seguramente é um dos parques mais lindos que já vi e a Galeria borghese, onde quebramos a cara, as visitas são feitas somente com agendamento prévio de mais de um dia.

Demos seqüência na programação e fomos até a Piazza Navona, local lindíssimo onde com muito gosto me deparei com a embaixada do Brasil, só quem viaja para fora sabe como é bom encontrar com a nossa bandeira.

Comprovamos a teoria de que não vale a pena comer na praça, comemos uma pizza bem básica sem novidade e depois tomamos um sorvete na Groom esse valeu muito a pena, a sorveteria fica próxima ao Pantheon.

Para encerrar nossa primeira fase da viajem, jantamos no Gusto, que também não vale a pena.

Rumamos para Costa Amalfitana, e depois de termos perdido 3horas com a incompetência da Hertz resolver o nosso problema com o carro, chegamos a Positano. Ficar parado numa autoestrada italiana sem ninguém que fale Inglês acaba com o humor de qq um.

No entanto, nada como a vista da costa para recuperar esse stress, a cidade é linda e no primeiro dia fomos jantar no Ristorante Mediterrâneo onde comi o melhor risoto da minha vida.

No dia seguinte com o tempo bom, rumamos para Sorrento e Capri. Ambas as cidades fantásticas. A noite voltamos para Positano e comemos no La Tagliata.

O La Tagliata não tem menu é um restaurante familiar e vc come o que os donos resolverem fazer o dia. Cada prato é uma viagem e vale cada centavo, o restaurante fica meio escondido,longe do centro de Positano, mas tem serviço que busca no hotel.

Andamos pela cidade de Positano no dia seguinte, a cidade é inteira linda, mas não sei como as pessoas agüentam tanta escada.

A tarde fomos para Amalfi igualmente linda a estrada que vai pela Costa Amalfitana e começa antes de Sorrento até Salerno não tem igual no mundo vale cada curva e cada km.

Agora, vamos para o ultimo jantar em Positano, amanha puxamos 500 km de estrada até Florença onde começa a terceira parte da viagem.

Bonasera

Ibere e Adri.

As fotos estão nas maquinas, quando baixar para o computador te mando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *